Não há problema. Se o bem for de maior valor, a diferença deverá ser negociada entre consorciado e fornecedor. Se o bem for de menor valor, há três opções para utilizar o saldo remanescente:

a) adquirir outro bem, após o pagamento da primeira compra ao fornecedor.

b) abater o saldo devedor da cota, diminuindo o valor da prestação ou o prazo do consórcio;

c) pagar despesas com a aquisição do bem, seguro, taxa de licenciamento, IPVA, multa, limitadas a 10% do valor da carta.